OVNIS ONTEM , NA BUSCA DA VERDADE

OVNIs Ontem visitaram o nosso planeta há 6.000, de acordo com textos da antiga Índia

Você sabia que a antiga Índia possui a história mais extensiva do mundo?  Seus magníficos textos antigos são chamados de “Vedas” e estas escritas literalmente falam sobre “navios voadores” que visitaram aquele continente há mais de 6.000 anos. Compostos em Sânscrito Védico, os textos são constituídos de camadas de literatura Sânscrita e as mais velhas escrituras do hinduísmo.
Assim, por que a história convencional ignorou estes textos antigos?  Melhor ainda, isto significa que não somos as única espécie inteligente habitando o Universo?  Parece que os Vedas antigos levantam ainda mais questões.
A divisão canônica dos Vedas é a seguinte:
Rigveda (RV)
Yajurveda (YV)
Samaveda (SV)
Atharvaveda (AV)
vimanas
Vimanas e cidades voadoras+
De acordo com especialistas, os Vedas relatam sobre duas categorias de objetos voadores que visitaram a Índia antiga no passado distante.  Estes misteriosos objetos são descritos nas escritas Sânscrito, onde você pode encontrar dispositivos incríveis e tecnologias que supostamente não deveriam existir em nosso planeta milhares de anos atrás.  No Mahabharata, os Puranas e os Ramayanas, encontramos mais descrições de aparelhos misteriosos que superam a compreensão tecnológica do homem da antiguidade.
As descrições de veículos altamente avançados nos textos antigos são incríveis e embaraçosas. No livro antigo do Vaimanika Shastra, ou a Ciência da Aeronáutica, há textos que relatam a respeito de naves que são literalmente controladas pelas nossas mentes, tornadas possíveis devido à tecnologia avançada que têm sido mantida escondida da sociedade em tempos modernos.
Não somente estes textos antigos relatam sobre naves controladas pela mente, mas também estes livros sagrados falam sobre levitação e antigravidade, há 6.000 anos.  Muitos especialistas acreditam que Vaimanika Shastra seja um livro sagrado que fala sobre “naves” que podiam viajar para diferentes lugares no nosso planeta, e também podiam viajar para o espaço.
Uma ilustração do manuscrito do Batalha Celeste de Kurukshetra, guerreada entre os Kauravas e os Pandavas, registrada no épico Mahabharata
Uma ilustração do manuscrito da Batalha Celeste de Kurukshetra, guerreada entre os Kauravas e os Pandavas, registrada no épico Mahabharata
De acordo com o Dr. V. Raghavam, um conhecido literato e musicólogo de Sanskrit, que escreveu mais de 120 livros e 1.200 artigos, os textos antigos da índia relatam sobre humanos que viveram em nosso planeta e seres alienígenas que visitaram nossos ancestrais há milhares de anos.  O Dr. V. Raghavam ganhou o Prêmio Sahitya Akademi para Sânscrito em 1966.
Ele disse:
“Cinquenta anos pesquisando este trabalho antigo me convenceu de que há seres vivendo em outros planetas, e que eles estavam visitando a Terra em 4.000 A. C.”
Ele ainda explicou:
“Simplesmente há uma enormidade de informação fascinante sobre máquinas voadoras, e até mesmo armamentos fantásticos de ficção científica, os quais podem ser encontrados nas traduções dos Vedas, épicos da Índia, e outros textos Sânscritos”.
De acordo com o Dr. Raghavan, há menções sobre numerosas tecnologias no Mahabharata e os Ramayanas: lá você pode encontrar todos os tipos de tecnologia avançada, algumas destas tecnologias antigas foram recriadas pelo grande Nikola Tesla (armamento de raios, lasers, etc.)
Mas o Dr. Raghavan não é o único a acreditar nesta teoria.  Outro cientista que firmemente concorda com o Dr. Raghavan é o Dr. A. V. Krishna Murty, professor da aeronáutica do Instituto Indiano de Ciências, em Bangalore. Diz o Dr. Krishna Murty:
“É verdade que os Vedas da Índia antiga e outros textos relatam sobre aeronáutica, espaçonaves, máquinas voadoras, astronautas antigos.  Um estudo de textos Sânscrito me convenceu que a Índia antiga conhecia o segredo da construção de máquinas voadoras e essas máquinas foram copiadas de espaçonaves vindas de outros planetas.”
Uma das passagens mais interessantes no Ramayana menciona:
“O ‘carro’ Puspaka, que se parece com o Sol e pertence ao meu irmão, foi trazido pelo poderoso Ravan; esse excelente ‘carro’ aéreo vai a qualquer lugar por si mesmo… o ‘carro’ lembra uma nuvem brilhante no céu… e o Rei [Rama] entrou, e o excelente ‘carro’, ao comando do Raghira, se elevou na atmosfera mais alta.”
Além disso, no Mahabharata encontramos textos que relatam o seguinte:
“Gurkha, voando em sua rápida e poderosa Vimana, disparou contra as três cidades dos Vrishis e dos Andhakas um único projétil carregado com toda a força do Universo.  Uma coluna incandescente de fumaça e fogo, tão brilhante quanto milhares de sóis, se levantou em seu explendor.  Era a arma desconhecida, o Trovão de Ferro, um gigantesco mensageiro da morte que reduziu toda a raça dos Vrishnis e Andhakas às cinzas.”
No Sânscrito Samaraanganasutraadhaara está escrito:
“Forte e durável deve ser feito o corpo da Vimana, como um grande pássaro voando, de material leve.  Dentro deve-se colocar um motor de mercúrio com seu aparato de aquecimento de ferro abaixo.  Por intermédio de força latente no mercúrio, que aciona o redemoinho de empuxo, um homem sentado dentro pode viajar grandes distâncias no céu.  Os movimentos da Vimana são tais que ela pode ascender verticalmente, descer verticalmente, se mover inclinando para frente e para trás.  Com a ajuda de máquinas, seres humanos podem voar no ar e seres celestes podem vir para a Terra.”
Como pode ser visto, há numerosos textos que falam de tecnologias que eram consideradas divinas no distante passado.  Estas tecnologias não estavam presentes somente na Índia.  Registros de “fenômenos” similares foram gravados em culturas antigas ao redor do globo, desde os nativos da América antiga, até pessoas que viviam no Antigo Egito e até mesmo na Ásia.  Por todos os lugares que você vá e olhe aos textos antigos, encontrará peças de evidência de uma “história esquecida”, de textos que têm sido rotulados como mitológicos, e evitados pelos arqueólogos e pesquisadores convencionais.