OVNIS ONTEM , NA BUSCA DA VERDADE

Folha produzida pelo homem pode contribuir para a colonização espacial


Cloroplastos suspensos na proteína de seda – Divulgação/Dezeen
A notícia abaixo foi publicada no site O Globo:
Uma folha biológica sintética recém-criada no Reino Unido pode permitir que os seres humanos colonizem o espaço. Segundo seu inventor, o estudante Julian Melchiorri, do Royal College of Art, o material absorve água e CO2, além de produzir energia como qualquer outra planta.
A matriz da folha é formada por proteínas de seda, resistentes a viagens espaciais. Elas receberam cloroplastos, a região da planta responsável pela fotossíntese.
— A Nasa está pesquisando diferentes formas de produção de oxigênio para jornadas espaciais de longa distância. Desta forma, podemos ver se será possível viver no espaço — explica Melchiorri. — Como as plantas naturais não crescem onde não há gravidade, este material sintético pode permitir um aumento significativo da área que exploramos no Universo.
POUCAS NECESSIDADES
Melchiorri coordena o projeto Folha de Seda, desenvolvido em conjunto com a Universidade Tufts, nos EUA.
— As fibras de seda têm uma capacidade incrível de estabilizar moléculas — destaca o pesquisador. — Com os cloroplastos, conseguimos o primeiro material fotossintético que vive e respira como as plantas.
Como as folhas de uma planta, o material estudado por Melchiorri precisa apenas de luz e uma pequena quantidade de água para produzir oxigênio.
— A folha de seda é a primeira folha biológica produzida pelo homem. É muito leve e consome pouca energia — ressalta. — Queremos usar a eficiência da natureza em um ambiente feito pelos humanos.
A tecnologia desenvolvida por Melchiorri pode contribuir com a eficiência energética de instalações que fazem parte de nosso cotidiano, como os edifícios.
— Estas folhas também podem ser usadas em sistemas de fachada e iluminação. É possível absorver o ar de fora do prédio, fazer com que passe por filtros biológicos e, depois, levar oxigênio para dentro das instalações.
A pesquisa foi divulgada pelo site Dezeen