OVNIS ONTEM , NA BUSCA DA VERDADE

Como ligar um motor molecular e vê-lo funcionando



Agora as máquinas moleculares podem ser ligadas e vistas diretamente por meio de um microscópio óptico. [Imagem: Tomohiro Ikeda et al./Universidade de Tóquio/NIMS]

Motor molecular visível

Já existem inúmeros tipos de motores moleculares artificiais, um tipo de motor feito com uma única molécula - já existe até um motor molecular a pistão.

Contudo, embora muito promissores para construir nanomáquinas e nanorrobôs, a tecnologia para lidar com eles ainda não foi totalmente desenvolvida, sendo máquinas muito sensíveis e difíceis de manipular.

Agora, Tomohiro Ikeda e seus colegas da Universidade de Tóquio conseguiram controlar um motor molecular e filmar seu movimento usando apenas um microscópio óptico.

A possibilidade de ver diretamente essa nanomáquina de apenas 1 nanômetro de diâmetro em ação, sem depender dos complicados aparatos de microscopia eletrônica, abre caminho para experimentos mais práticos.

A técnica para visualização do movimento de moléculas individuais já existia para os motores naturais in vivo, as máquinas biomoleculares.

Mas esta foi a primeira vez que ela foi usada para monitorar máquinas moleculares sintéticas, que são muito menores - os motores biomoleculares medem cerca de 10 nanômetros, contra apenas 1 nanômetro do motor molecular agora filmado.

Máquinas moleculares sintéticas

O principal feito da equipe foi desenvolver a técnica de manipular o motor molecular, usando uma gotícula de 200 nanômetros de diâmetro, que é visível pelo microscópio óptico. Aplicando uma força externa à gotícula, é possível controlar o movimento da molécula 200 vezes menor e observar seu funcionamento.

"Este método permite a visualização dos movimentos de qualquer máquina molecular," escrevem os pesquisadores.

Segundo eles, com a sua técnica de controle do motor molecular, um nanomotor movido por luz poderá ser acoplado a motores biomoleculares naturais, permitindo criar tecnologias de conversão de energia que poderão manipular várias reações fotoquímicas.

"Este é atualmente o único método disponível para avaliar o desempenho de uma única máquina molecular sintética por meio de 'vê-la e tocá-la', e para verificar se os motores moleculares sintéticos estão gerando sua própria energia locomotora, o que é um dos objetivos em vista com as máquinas moleculares sintéticas," conclui a equipe.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA