OVNIS ONTEM , NA BUSCA DA VERDADE

‘Comissão da Verdade’ diz que monstro de lago na Islândia realmente existe



Uma quadro do vídeo de Hjörtur.
Lagarfljótsormurinn, a serpente gigante que alegam habitar o lago Lagarfljót, próximo de Egilsstaðir, no leste da Islândia, realmente existe, como anunciado no sábado passado (23/8) pela maioria de uma ‘Comissão da Verdade’, que foi estabelecida em 2012 pelo Conselho Municipal de Fljótsdalshérað.
À Comissão, foi dada a tarefa de determinar se o vídeo do alegado monstro, que foi filmado por Hjörtur E. Kjerúlf, e que se tornou viral, era autêntico, e se ele era digno de um prêmio de ISK 500,000 (US 4.300, EUR 3.300)
Contaram-me sobre a conclusão da comissão e eu gostaria de dizer que estou extremamente contente em confirmar que a maioria da comissão estava certa“, disse Hjörtur
Enquanto concluía que o vídeo de Hjörtur era autêntico, a Comissão determinou que uma foto tirada por Sigurður Aðalsteinsson, que também tinha entrado com um requerimento ao dinheiro, não mostrava a serpente real.
Hjörtur fez a filmagem a partir da janela de sua cozinha, na fazenda Hrafnkelsstaðir, em Fljótsdalur, numa manhã de fevereiro de 2012. O vídeo foi originalmente publicado no site da empresa de TV nacional RÚV e, após ser reportado pelo Iceland Review, foi republicado múltiplas vezes.
Agora o vídeo já foi assistido por aproximadamente 8 milhões de vezes e isso incentivou as equipes de filmagem do mundo todo a irem até o lago na Islândia em busca da serpente.
O ex-prefeito de Austur-Hérað prometeu o prêmio em 1997 para a pessoa que apresenta evidências da existência da serpente Lagarfljótsormurinn.  Após Hjörtur e Sigurður alegarem direito ao prêmio, a comissão da verdade foi estabelecida.
A comissão também recomendou que mais estudos fossem feitos a respeito do Lagarfjótsormurinn.
Além do prêmio de ISK 500.000, Hjörtur recebeu outro prêmio de ISK 50.000 da cooperativa local de turismo, Þjónustusamfélagið Fljótsdalshéraði, por ter divulgado em seu vídeo a região como sendo um destino turístico.
Assista o vídeo: