OVNIS ONTEM , NA BUSCA DA VERDADE

Força Aérea dos EUA notificou o Congresso estadunidense que quer fechar a HAARP



A Força Aérea dos Estado Unidos notificou o Congresso daquele país que pretende fechar a HAARP.  Para aqueles que não sabem, a HAARP é uma instalação de pesquisa no Alasca (EUA), a qual, alegadamente, estuda as regiões ativas e energéticas da atmosfera superior. Teóricos da conspiração estão falando a respeito da notícia, dado o fato que a HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program) tem sido por muito tempo o centro de especulações de que o programa é projetado para controlar o clima – ou coisa pior.  Em 2010, o então presidente venezuelano Hugo Chavez disse que a HAARP, ou algum outro projeto similar, causou o terremoto do Haiti.
Só para o registro, o terremoto do Haiti de 2010 foi causado por um deslize de uma falha geológica aberta ao longo das divisão das placas tectônicas entre o Caribe e a América do Norte.
HAARP é um programa projetado para analisar a ionosfera, que é a parte da atmosfera superior, a qual se estende de 85 quilômetros acima da superfície da Terra até 600 quilômetros.  O programa tem sido financiado pela Força Aérea, a Marinha , a Universidade do Alasca e a Agência de Projetos de Pesquisas Avançadas de Defesa, ou DARPA (sigla em inglês).
Por que a HAARP existe?
Os militares dos EUA estão interessados na ionosfera porque esta parte da atmosfera tem um papel importante na transmissão de sinais de rádio.  A HAARP envia sinais de rádio até a ionosfera para estudar as reações dela.
A HAARP opera a partir de sua Estação de Pesquisa em Gakona, no Alasca, onde há um transmissor a rádio de alta-potência, o qual pode perturbar uma pequena porção da ionosfera.  Outros instrumentos são então usados para medir as perturbações.
USAF
Imagens da câmera da HAARP mostram emissões óticas artificiais sobrepostas num fundo natural da aurora natural.  O experimento foi conduzido em 10 de março de 2004.
 A meta do programa, de acordo com a informação oficial, é a de compreender a física da ionosfera, a qual está constantemente reagindo às influência do Sol.  Chamas solares podem enviar partículas solares em direção à Terra, ocasionalmente perturbando as comunicação e a grade elétrica.  Se os cientistas puderem compreender melhor o que ocorre na ionosfera, eles poderão ser capazes de mitigar alguns destes problemas.
Mas a Força Aérea não está mais interessadas e manter a HAARP, segundo David Walker,  vice secretário assistente para ciências, tecnologia e engenharia da Força Aérea.  Numa audiência no senado dos EUA em 14 de maio passado, Walker disse que a Força Aérea não tem interesse em manter as instalações, e está mudando para outra direção dentro da pesquisa da ionosfera.
Política e conspiração
O plano da Força Aérea de destruir a HAARP tem detratores.
Apesar da Força Aérea não mais querer o valor único da HAARP, usuários de várias agências federais, laboratórios e universidades, bem como nações amigas, tais como Canadá, Grã-Bretanha, Taiwan, Coreia do Sul, Suécia e Noruega, estão dispostos a usar estes recursos únicos, que iriam espalhar mais a influência e liderança dos EUA“, escreveu o professor de física e astronomia da Universidade de Maryland, Dennis Papadopoulos, num artigo para o Alaska Dispatch
Teóricos da conspiração acham que o propósito da HAAEP é muito mais sinistro do que é alegado.  O programa tem sido acusado de muitas coisas, desde o aquecimento global até desastres naturais e zumbidos misteriosos no céu.

Fonte das informações: www.nbcnews.com