OVNIS ONTEM , NA BUSCA DA VERDADE

Equipe do jipe-sonda Curiosity decide não perfurar rocha em Marte, após descobrir instabilidade


‘Bonanza King’ apresentou instabilidade ao ser perfurada. (Clique na foto para acessar uma versão ampliada, no site de origem – NASA.)
A avaliação de uma rocha marciana ‘pálida’ e achata, como alvo em potencial para a próxima perfuração do jipe-sonda Curiosity da NASA, determinou que a rocha não era estável o suficiente para que a perfuração fosse segura.
A rocha, chamada de ‘Bonanza King’, se moveu levemente durante uma atividade de ‘mini-perfuração’ na quarta-feira passada.  Assim, ao invés de perfurar esta ou outra rocha similar pela redondeza, a equipe decidiu que o Curiosity irá prosseguir em direção a seu destino, nas encostas de uma montanha.  Ele irá tomar a rota ao redor da face norte de um vale com solo arenoso.
“Baseados nos testes que fizemos, decidimos que as rochas sob consideração para perfuração não são boas candidatas para tal“, disse Jim Erickson, Gerente de Projetos do Curiosity.  “Ao invés disso, iremos nos dirigir ao Monte Sharp.”
Após a equipe do jipe-sonda escolher um alvo candidato para perfuração, este é sujeito a vários testes para conferir se ele possui os critérios para a coleta de uma amostra, sem causar riscos ao jipe-sonda.  Os três alvos anteriores da missão de perfuração possuíam esses critérios.
‘Bonanza King’ está na parte noroeste do ‘Hidden Valley’ (Vale Escondido).  No início deste mês, o Curiosity começou sua rota através do vale, mas escorregou na areia mais do que se esperava.
Após maiores análises da areia, o ‘Hidden Valley‘ não parece ser navegável com o grau necessário de confiança“, disse Erickson. “Usaremos uma rota para evitar a parte pior dar rochas afiadas, à medida que formos levemente ao norte do ‘Hidden Valley”.
O jipe-sonda se deslocou aproximadamente 8,8 quilômetros desde que pousou na Cratera Gale, em agosto de 2012, e ainda terá que se deslocar 3 quilômetros para alcançar o ponto de entrada para as encostas do Monte Sharpe, no meio da cratera.
A missão fez importantes descobertas próximas ao local de pouso durante seu primeiro ano, encontrando evidências ambientes antigos de um lago e um rio.  As descobertas do jipe-sonda indicaram que esses ambientes teriam fornecido condições favoráveis para a vida microbiana.  O Projeto do Laboratório de Ciências de Marte, da NASA, continua a usar o Curiosity para avaliar ambientes habitáveis antigos e grandes mudanças nas condições ambientais marcianas.  Os destinos de estudo no Monte Sharp oferecem uma série de camadas que registram capítulos diferentes na evolução ambiental da antiguidade de Marte.

Fontewww.nasa.gov